Promoçoes

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

MEIO AMBIENTE X DEGRADAÇÃO


Segundo a Política Nacional do Meio Ambiente – PNMA – Lei Federal Nº 6.938, de 31/08/81 (BRASIL, 1981, grifo nosso), Meio Ambiente é o conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem física e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas, e Degradação Ambiental é um processo de degeneração do meio ambiente, em que as alterações biofísicas do meio provocam uma alteração na fauna e flora naturais, com eventual perda de biodiversidade.

Com base no conceito de degradação, podemos dizer que ela sempre existiu, desde que o homem se estabeleceu e passou a utilizar os recursos naturais para suprir suas necessidades.

O equilíbrio dos ecossistemas era predeterminado pelas disposições genéticas de cada ser vivo. Os seres mais fortes e mais resistentes sobreviviam às adversidades e permaneciam transferindo suas características genéticas para seus descendentes. No entanto, esse equilíbrio é rompido pela intensidade da intervenção antrópica no meio. Quando poucos homens habitavam a terra, a degradação ocorria, mas numa taxa que poderia ser revertida naturalmente.

Mas, com o advento da Revolução industrial (Século XVIII), a escala de produção, consumo e população urbana aumentaram imensamente. Houve um inchamento das cidades e, com isso, os problemas ambientais foram assumindo proporções muito maiores. Uma consequência direta dessa mudança foi que, com o aumento da produção de materiais industrializados, aumentou também o lixo gerado, com restos de embalagens e produtos industriais. A disposição final inadequada dos resíduos pode vir a contaminar água e solo, causando poluição. A Poluição é definida como a alteração indesejável nas características físicas, químicas ou biológicas da atmosfera, litosfera ou hidrosfera, que cause ou possa causar prejuízo à saúde, à sobrevivência ou às atividades dos seres humanos e outras espécies ou, ainda, deteriorar materiais.

Nesse contexto, não podemos nos esquecer de que altas atividades industriais e altas taxas de emissão de gases de veículos automotores causam a poluição do ar e reduzem a qualidade de vida nos grandes centros urbanos. A queima de combustíveis fósseis (gasolina, diesel, querosene, carvão mineral e vegetal), as queimadas florestais e, ainda, a pecuária contribuem com a emissão de gases que absorvem parte da radiação infravermelha emitida pela Terra, favorecendo e efeito estufa e o aquecimento global. Atualmente, o aquecimento do planeta é uma das maiores preocupações mundiais, motivando discussões cada vez mais profundas, no sentido de amenizar os impactos já causados.

A perda de biodiversidade é outro grande problema que pode ocorrer como resultado da supressão de florestas. As alterações infringidas aos ambientes naturais podem extinguir várias espécies da flora e fauna, prejudicando a variabilidade genética, essencial para o equilíbrio dos ecossistemas e evolução das espécies.

A degradação ambiental cresceu de tal maneira que passou a ameaçar a possibilidade de subsistência de muitos povos na atualidade e das futuras gerações.